Quero entender!

14. jun, 2015

Foi aprovada, como parte da reforma política, a redução da idade mínima, para deputados estaduais e federais, de 21 para 18 anos. No início deste ano, nossa Presidente passou a denominar o Brasil como Pátria Educadora. Até por uma questão de comodismo, como qualquer brasileira que sou, não questionarei a lei antiga, também bastante incoerente, no tocante à idade e demais quesitos para ingresso na carreira política. Mas, diante de tal denominação à nossa Pátria, sinto-me no direito de perguntar: Como pode um cidadão de 18 anos ter capacidade para aprovar ou não uma lei a ser seguida, em tese, pelo juiz de direito que precisou ter nível superior completo e demais exigências para ingresso na carreira? Sabe-se que com 18 anos, o máximo que um cidadão comum consegue é concluir o 2º grau ; óbvio, então, que jamais teremos um juiz de direito com apenas 18 anos. Note-se que esse mesmo juiz de direito, para chegar a tal posição, teve que estudar muito mais que o 2º grau, teve que ser submetido a no mínimo 4 provas de conhecimentos específicos, teve sua reputação investigada nos 05 anos precedentes  ao concurso e perceberá mensalmente, no máximo 30 mil reais. Entretanto, o deputado estadual  ou federal  que não ingressa por concurso público; que terá, no máximo, 2º grau completo e; que não tem sua reputação investigada nos anos anteriores ( afinal, como investigar 5 anos para trás se um menor infrator  de 13 a 17 anos, 11 meses e 29 dias, tem sua ficha limpíssima, quando completa 18 anos?) perceberá muito mais que 30 mil reais, podendo chegar até perto de 100 mil (se contarmos com as demais verbas)? Além disso, difícil se ver um concurso público em quaisquer dos Três Poderes, cuja exigência não seja de no mínimo 2º grau completo (nas empresas privadas soma-se até mais que o idioma pátrio). Ora, apenas como cidadã comum, eleitora cumpridora de seus deveres cívicos, desejo perguntar diretamente à Senhora Presidente da República: isso é Pátria Educadora?